5 coisas que a sua empresa precisa saber sobre o IR 2015!

Escrito por:

Informar, por meio da declaração do Imposto de Renda (IR), os gastos que a empresa teve é uma forma de complementar as informações que a Receita Federal já acumula para fins de controle fiscal. Não é obrigatória para todos os casos, porém tem um prazo a ser respeitado e requer um programa específico, que é disponibilizado através da internet pelo Governo Federal. Veja tudo que você precisa saber sobre a declaração do Imposto de Renda 2015 para a sua empresa:

 

1 – Quem deve fazer a declaração de IRPJ e até quando?

As empresas que optaram por operar no regime tributário Simples Nacional ficam desobrigadas de realizar a declaração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), visto que já fazem a DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais). Para os demais casos, a declaração de IRPJ é obrigatória, portanto não realizá-la ou extrapolar o prazo limite implicará sanções legais às empresas.

 

As datas de início e fim para declarar o IRPJ correspondem às mesmas estipuladas para as pessoas físicas. Costumam ser as mesmas todos os anos, normalmente com início por volta de 2 de março e término no último dia de abril. No entanto, para 2015 há a entrada em vigor da Escrituração Contábil Fiscal (ECF), uma nova obrigatoriedade instituída pela Receita Federal e imposta às pessoas jurídicas. Veremos mais adiante a data para a entrega da ECF.

 

2 – Há diferenças entre a tributação a partir do Lucro Real, Lucro Presumido ou Lucro Arbitrado?

Para além do Simples Nacional, cada uma delas pressupõe uma base de cálculo diferente pela qual as empresas optam, ou têm que adotar obrigatoriamente (a depender das receitas do negócio). Independente da denominação, qualquer capital obtido pela empresa em decorrência de suas transações determinará o cálculo do IRPJ. Exceto para o Simples Nacional, que exige outro tipo de declaração, como já vimos mais acima.

 

3 – Como é feita a declaração?

É feita por meio do preenchimento eletrônico de campos que pertencem a um programa disponibilizado pelo Governo através do site da Receita Federal. Até o ano passado, era o mesmo procedimento que os contribuintes na qualidade de pessoa física deveriam seguir: baixar o Programa Gerador de Declaração (PGD) a partir do site da Receita, depois de inserir os dados nos formulários a declaração era enviada e então era emitido um recibo que atestava a entrega.

 

Agora, para o corrente ano, há novidades para a declaração do IRPJ que exigem atenção. Torna-se ainda mais importante que a empresa tenha a contabilidade bem assessorada, com atenção aos prazos, para não incorrer em penalizações ou multas. Os dados devem ser informados com precisão, evitando erros e omissões.

 

4 – Novidades para 2015: Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

Começa a vigorar neste ano de 2015, é anual e deverá ser entregue até julho. Para a realização da ECF, as empresas que operam no Regime Simples Nacional novamente ficam isentas.

 

A ECF constitui uma forma mais abrangente de entrega de informações para o fisco, reunindo vários dados em um só sistema informatizado. Como este é o primeiro ano de entrega deste documento, alguns registros serão preenchidos pelo próprio programa, e só a partir do segundo ano as informações serão devidamente recuperadas de acordo com as declarações anteriores. Para mais esclarecimentos, é preciso estar atento às informações disponíveis no site do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).

 

No caso de empresas que tenham passado por cisão, fusão ou incorporação no ano de 2014, ainda será necessária a entrega da DIPJ (Declaração de Informações Econômico-fiscais da Pessoa Jurídica).

 

5 – Declarar o IRPJ é importante para o negócio

Ter obrigatoriamente que entregar a ECF acaba por implicar mais rigor à prestação de informações por parte das empresas ao Governo Federal. Nesse sentido, é essencial que a contabilidade esteja devidamente organizada para atender aos prazos, até porque a ECF exige um número maior de informações.

 

A necessidade é de que a contabilidade das empresas tenha sido planejada para lidar com a fiscalização. Isso porque a ECF vai envolver a entrega de muitos dados em um mesmo momento, e lidar com a entrega precisa dessas informações exige preparo a antecipação. É importante para a empresa tanto do ponto de vista legal quanto do financeiro, pois passar informações incorretas, ou mesmo omiti-las, pode gerar transtornos nessas duas esferas e penalidades que desequilibrem significativamente o negócio.

 

Ocorre que a ECF envolve um acúmulo de informações a serem entregues, como, por exemplo, o Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do Exercício. Ter diversos dados entregues ao fisco dessa forma, em conjunto, vai tornar mais dinâmica a verificação das informações e, portanto, a identificação de eventuais irregularidades. As informações infundadas podem levar a Receita Federal a exigir esclarecimentos — a temida “malha fina”.

 

Cada vez mais é necessário que as empresas estejam preparadas para trabalhar com sistemas informatizados em razão das demandas do fisco, portanto torna-se ainda mais relevante que já lidem com a tecnologia no armazenamento de suas informações internas. Para o caso da ECF, torna-se mais dinâmico e seguro executar a tarefa de envio dos dados caso a empresa já faça uso de um software na gestão da sua contabilidade. A ideia é que as ferramentas tecnológicas favoreçam o envio correto desses dados como consequência da organização que já fazem deles.

 

Agora que você já está por dentro da declaração de IR da sua empresa, acompanhe também outras dicas fundamentais para o seu negócio, aqui no blog. Confira nossos outros posts!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Emita seus Boletos de cobrança com o Controlle
Por LARISSA
O que é Centro de Custo e quais as vantagens de usá-lo em sua empresa
Por Controlle
Como calcular o lucro da sua micro ou pequena empresa
Por Controlle
Orçamento empresarial: a diferença entre despesa, gasto e custo
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.