5 passos para levar grandes investidores até o seu negócio!

Escrito por:

O desejo de qualquer empreendedor é ver a empresa crescer. Em um dado momento, no entanto, a falta de capital acaba se tornando um grande empecilho para a concretização de novos projetos. Nessas horas, buscar o capital de terceiros é uma das formas mais usuais para se conseguir viabilizar o desenvolvimento da empresa.

 

Os empreendedores recorrem aos bancos em busca de empréstimos, financiamentos, capital de giro ou até mesmo da antecipação de recebíveis. Mas essas não são as únicas opções para quem procura ampliar os recursos financeiros do empreendimento: existe ainda a figura dos investidores.

 

Há quem diga que conseguir um investidor é privilégio das grandes empresas ou das Startups que possuam projetos inovadores na área de tecnologia. No entanto, na maioria dos casos, o que determina se um investidor vai ou não apostar na sua empresa é a qualidade da equipe, o real potencial de lucratividade do novo projeto ou da empresa e o plano de negócios apresentado. Neste post, estabelecemos quais são as etapas para que você consiga um investidor para a sua empresa!

 

Primeiro passo: Avaliação da necessidade de investidores

A primeira etapa consiste em uma avaliação: afinal de contas, minha empresa precisa ou não de investidores? Em alguns casos, principalmente nas fases iniciais de um empreendimento, buscar esse tipo de recurso acaba prejudicando o desenvolvimento da empresa. Isso porque, além de pressão por resultados, que certamente afetará o clima organizacional, os lucros serão repartidos, fato que irá prejudicar todos os sócios.

 

Por isso, antes de procurar um investidor, avalie se os projetos da empresa podem trazer grandes retornos a serem repartidos. Se não for o caso, o foco deve ser na conquista de clientes, de modo a tornar o negócio sustentável. Outro ponto importante é conhecer um pouco mais sobre o perfil do seu negócio para definir quais são as áreas estratégicas que demandam a captação de recursos financeiros externos.

 

Segundo passo: Elaboração de um plano de negócios

Essa é uma fase essencial não só para quem busca investidores, como também para conseguir qualquer tipo de financiamento em instituições bancárias. Elaborar um plano de negócios significa definir todos os objetivos empresariais, conhecer o potencial de crescimento da empresa, bem como entender tudo sobre o mercado explorado, desde a concorrência, até uma projeção de lucros para os próximos anos.

 

É com esse plano em mãos que o empreendedor consegue preparar seu discurso de venda para atrair a atenção dos investidores. Afinal de contas, se o empresário não conhece o seu próprio negócio, dificilmente conseguirá convencer qualquer outra pessoa a colocar dinheiro para alavancar algum projeto.

 

Terceiro passo: Regularização da empresa (Due Diligence)

Em muitos dos casos, antes de a empresa receber um investimento, há uma espécie de auditoria para verificar se a empresa está regularizada, ou seja, se todo o setor contábil e as obrigações trabalhistas estão em ordem. É uma forma que o investidor encontra para se proteger de possíveis problemas judiciais, ou qualquer outra questão que possa afetar negativamente a lucratividade da empresa.

 

Antes disso, é fundamental que o empreendedor procure a contabilidade para se certificar de que tudo está regularizado, evitando, assim, que erros ou fraudes sejam discriminados durante o processo.

 

Quarto passo: À procura de um investidor

Não é só o investidor que deve analisar o perfil da empresa na hora de aplicar recursos. O mesmo deve ocorrer com o empreendedor. É fundamental procurar alguém que já possua afinidade com o seu tipo de negócios, medida que irá facilitar a comunicação e pode, até mesmo, facilitar o desenvolvimento do projeto.

 

Lembre-se que hoje existe a figura dos investidores-anjo e que instituições do Sistema S costumam promover diversos encontros entre empresários e essas pessoas. Não podemos nos esquecer, também, que existem investimentos específicos dependendo do estágio da sua empresa, como as incubadoras (normalmente nas fases iniciais), o Venture Capital (novos projetos) e o Private Equity (empresas com alta lucratividade).

 

Quinto passo: Valoração do negócio

Essa é a última etapa. É fundamental que o empreendedor consiga avaliar qual será o percentual da empresa, ou do projeto específico que esteja sendo desenvolvido, que será destinado ao investidor em troca do aporte de capital. Nessa área, é fundamental contar com uma boa consultoria, principalmente da área contábil, para avaliar o patrimônio da empresa e realizar projeções de vendas.

 

A valoração costuma variar de acordo com a qualidade da equipe, o potencial do projeto e o posicionamento da empresa no mercado. Ou seja, quanto mais segurança for passada para o investidor, menor será o percentual que o empreendedor terá que abrir mão para conseguir os recursos necessários.

 

Em suma, procurar por investidores é uma tarefa que requer, acima de tudo, uma ponderação de interesses. A empresa precisa estar em uma boa fase de amadurecimento em relação ao seu plano de negócios, de modo a apostar todas as fichas no projeto certo. Já está se planejando para que a sua empresa consiga investimentos? Acompanhe nosso blog e fique por dentro de mais dicas sobre finanças!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

7 indicadores financeiros indispensáveis para pequenas empresas
Por Controlle
Facebook para pequenas empresas: a força dessa estratégia
Por Controlle
DRE: entenda como fazer e porque ele é essencial para a sua empresa
Por Controlle
A importância da inovação na empresa: 5 dicas para pensar fora da caixa
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.