Como calcular margem de contribuição

Administrar uma empresa corretamente e estar sempre atento à direção...

Administrar uma empresa corretamente e estar sempre atento à direção que ela está seguindo é tarefa fundamental de qualquer empreendedor. Para isso, existem alguns indicadores indispensáveis para qualquer negócio, um deles é a margem de contribuição, que devem ser utilizados com freqüência para ajudar você a manter sua empresa no caminho certo.

Um dos principais indicadores em se tratando de planejamento financeiro, planejamento de vendas e DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é a margem de contribuição que, apesar um indicador imprescindível para qualquer negócio, nem sempre é levado em consideração pelo gestor.

Por isso, no artigo de hoje, você entenderá um pouco mais sobre este indicador e aprenderá a calcular o quanto sobra das vendas para a sua empresa a partir do cálculo da margem. Acompanhe!

 

O que é margem de contribuição?

 

A Margem indica quanto do valor líquido oriundo das vendas estará disponível para pagamento de despesas fixas da empresa. Também conhecido como Ganho Bruto, este indicador representa o quanto do lucro da venda de cada produto (ou serviço) contribuirá para cobrir as despesas fixas e custos do negócio e, eventualmente, gerar caixa.

Por ser de extrema relevância e importância para qualquer negócio, a margem de contribuição deve sempre estar no radar do administrador e ser calculada com freqüência. O cálculo do indicador é feito a partir do valor das vendas e o resultado dessa conta lhe fornece a quantidade mínima de produtos que sua empresa precisará vender para que as contas fechem.



 

Como calcular a margem de contribuição de uma empresa?

 

Calcular a margem de contribuição da empresa não é nenhum bicho de sete cabeças. Para realizar esta conta e identificar esta margem basta subtrair, do valor das vendas, o valor dos custos e despesas variáveis. O cálculo, portanto, ficaria da seguinte forma:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Imagine, por exemplo, que sua empresa planeja vender 1.000 unidades de um determinado produto a R$ 500,00 cada unidade. Para produzir o unitário deste produto, o negócio tem um custo de R$ 200,00, acrescido de R$ 150,00 de despesas variáveis diversas.

Nesta situação a margem de contribuição da sua empresa seria de R$ 150,00 por unidade, com uma margem de contribuição total de R$ 150.000 para as 1.000 unidades do produto. Bastante simples, não é mesmo?

Ao calcular a margem de contribuição corretamente, no entanto, é fundamental que você conheça alguns conceitos básicos para não fazer confusão. Um deles é saber distinguir os custos e despesas fixas dos custos e despesas variáveis.

Entender mais sobre estes custos e despesas e saber determinar o ponto de equilíbrio financeiro do seu negócio, por exemplo, podem lhe ajudar muito nessa tarefa de calcular a margem de contribuição das suas vendas.

 

Por que calcular a margem de contribuição?

 

Calcular e conhecer a margem que as vendas proporcionam à sua empresa é essencial para qualquer negócio que deseja manter o planejamento em dia e crescer com saúde. Sem a margem de contribuição, a empresa fica a mercê da própria sorte e pode amargar anos de prejuízo mesmo atingindo um bom número de vendas.

Além disso, no campo das projeções de vendas, a margem de contribuição tem um papel fundamental – uma vez que ela pode ser utilizada como base para a projeção de vendas de uma empresa. Neste caso, o empreendedor deve levar em consideração a margem de contribuição e o ponto de equilíbrio do negócio, a fim de calcular quantas unidades de um determinado produto a empresa deve vender para não ter lucro nem prejuízo em um período específico.

Esta projeção de vendas baseada na margem de contribuição oferece ao gestor informações preciosas sobre o ponto de equilíbrio do negócio e percentuais de venda necessários para obtenção de lucro. Mais um motivo pelo qual você não deve deixar de conhecer – e calcular – este indicador.

 

Conclusão

 

A margem de contribuição nada mais é que um indicador valioso para qualquer gestor, que tem como papel principal indicar quanto do valor líquido oriundo das vendas estará disponível para pagamento de despesas fixas da empresa. É ele que, no final, lhe garantirá a cobertura destes custos e despesas e que promoverá a geração de lucro – tão aguardada por todo e qualquer negócio.

Se você não tem o hábito de calcular este indicador, esta talvez seja a hora de começar a rever suas prioridades no negócio e dar atenção à margem de contribuição e outros indicadores importantes. Lembre-se que conhecê-los e saber utilizá-los a favor do seu negócio pode ser a diferença entre crescer ou ficar para trás em um mercado cada vez mais concorrido.

E você, costuma realizar o cálculo da margem do seu negócio com frequência? Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Então deixe seu comentário e compartilhe conosco suas dúvidas ou experiências!

 

Outros artigos:

O que é Centro de Custo e quais as vantagens de usá-lo em sua empresa

Fluxo de caixa: Tudo o que você precisa saber

Fluxo de caixa e DRE, entenda a diferença

Deixe seu comentário