Como contornar uma crise interna na empresa?

Escrito por:

Para sempre trilhar no caminho do sucesso, uma empresa precisa que seus diversos elementos trabalhem em harmonia. O modelo de negócios precisa estar alinhado, a sinergia da equipe de colaboradores precisa funcionar e as decisões mais estratégicas devem ser tomadas pelas suas lideranças. No entanto, todo esse bom trabalho pode ser comprometido se uma crise interna não for bem administrada.

 

Os motivos para uma crise surgir podem ser dos tipos mais variados. O mercado ou a empresa podem estar passando por alguma dificuldade financeira; a relação entre os profissionais pode ter ficado abalada com algum acontecimento; ou ainda pode ser um quadro de desmotivação geral, o que tem o potencial de atingir todos os setores. Em casos mais graves, crises internas podem tomar proporções ainda maiores, chegando à esfera externa e interferindo nos negócios.

 

O ponto mais importante a se considerar quando tratamos de gerenciamento de crises internas em empresas é conciliar a agilidade com a precisão. Uma resposta errada dada de forma apressada pode agravar ainda mais a situação, assim como uma resposta certa que foi dada fora do ritmo necessário. As lideranças devem ter pensamento estratégico e considerar todas as esferas da crise antes de tentar atacá-la, mas não devem perder o timing.

 

Diálogo e transparência

O diálogo é uma base indispensável para se administrar crises, sejam elas do âmbito profissional ou até do pessoal. As principais tendências modernas de gestão de negócios e empresas ditam que cada vez mais o ambiente corporativo deve ser aberto e transparente para os seus funcionários. Um local de trabalho assim aproveita diversas vantagens, sendo uma das principais a facilidade na resolução de problemas.

 

Um profissional que tenha perfil de liderança e habilidades de estratégia corporativa deve ser o encarregado de traçar um planejamento para lidar com crises internas. Em certos casos, ainda é válido incluir a participação de mais de uma liderança, dependendo do perfil da empresa e da situação. Em casos de empresas maiores, é importante que seja considerada uma ação conjunta por parte de diversos departamentos, com o intuito de evitar que os efeitos negativos da crise se espalhem entre eles.

 

Uma cultura corporativa que valoriza o diálogo e a transparência só traz reflexos positivos para a empresa. Dessa forma, as decisões são tomadas de forma mais rápida e eficiente, além de servirem como uma representação do coletivo da empresa. Vale lembrar que em locais com esse perfil, não existe uma imunidade a crises, mas sim uma maior agilidade em contorná-las e conter seus efeitos.

 

No entanto, tal postura não pode ser adotada de forma súbita, da noite para o dia. Uma mudança na cultura corporativa deve ser um processo gradual, e de forma alguma ser feita emergencialmente, no auge de uma crise. Para essas situações, o planejamento estratégico deve levar em consideração o contexto administrativo da empresa, do mercado onde ela se situa, os reflexos da situação e o timing das decisões.

 

Crise financeira

Poucos assuntos têm o potencial de mexer com os ânimos de todos os colaboradores como o dinheiro. Independentemente de sua posição na hierarquia corporativa, todo profissional é impactado por uma crise financeira. E essa situação pode ser de origem global, restrita à empresa ou os dois casos. E em todas as situações o plano de ação deve ser preciso e eficiente.

 

Com o objetivo de prever e conter essas situações de forma competente, é importante que toda empresa considere a importância da formação estratégica de suas lideranças. É essencial que todos aqueles profissionais em cargos de inteligência sempre busquem se atualizar e reciclar conhecimentos a respeito dos assuntos de gestão administrativa, pois serão esses profissionais aqueles melhor qualificados para lidar com uma crise quando ela inevitavelmente surgir.

 

Em casos de crise financeira, o plano de ação deve ser equivalente àquele empregado em outros tipos de problemas internos: diálogo e transparência. Através da expertise dos profissionais envolvidos, é importante desenvolver junto à assessoria de comunicação da empresa a melhor forma de lidar com a situação diante do público.

 

No ambiente digital

Com a velocidade das comunicações modernas, uma crise interna pode facilmente se transformar em assunto de conhecimento geral. Vazamentos podem conquistar proporções negativas demais e impactar a imagem e os negócios da empresa. O ambiente digital requer um plano de ação bem arquitetado para que os efeitos negativos da crise não sejam ainda maiores.

 

Cada crise pode exigir uma estratégia diferente, que leve em conta as suas particularidades e as necessidades da empresa. O ponto primordial para administrar a repercussão digital de uma crise é compreender todos os seus ângulos e até onde ela vai. O ambiente digital é constituído por diversos nichos e âmbitos diferentes, como redes sociais e blogs, e cada um destes canais merece uma atenção especial, já que podem ser o ponto de partida para um vazamento de informações sério.

 

De que outras formas você acredita que se deve cuidar de crises internas? Compartilhe as suas experiências conosco!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Customer Success: o que é e por que investir nessa estratégia?
Por Controlle
O que é Centro de Custo e quais as vantagens de usá-lo em sua empresa
Por Controlle
Como calcular o lucro da sua micro ou pequena empresa
Por Controlle
Orçamento empresarial: a diferença entre despesa, gasto e custo
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.