Como entender e controlar o fluxo de caixa

Escrito por:

Para ter uma gestão financeira eficiente no seu empreendimento, é fundamental saber como controlar o fluxo de caixa.

 

Afinal, é por meio dessa ferramenta que gestores e donos de empresas conseguem avaliar a saúde financeira do negócio, traçando estratégias de crescimento e considerando as melhores formas de aumentar as vendas e lucros.

 

Independentemente do setor, do ramo ou do tamanho da empresa, o controle do fluxo de caixa é o que possibilita visualizar como vai o desempenho do negócio, assim como fazer as projeções futuras.

 

Então, para entender melhor o que é fluxo de caixa e saber qual é sua importância e como realizá-lo, confira o post de hoje!

 

O que é o fluxo de caixa?

 

O fluxo de caixa vai muito além da verificação do faturamento no final do mês. Trata-se de uma ferramenta de gestão financeira que ajuda a identificar todas as entradas e saídas de dinheiro em determinado período de tempo.

 

Por meio de planilhas ou sistemas de gestão online, o empreendedor deve anotar todas as contas a pagar e a receber. E vale ressaltar: por menor que seja a quantia, ela deve ser contabilizada.

 

A partir desse monitoramento, é possível visualizar a real situação financeira do negócio, ainda que as datas de pagamento e recebimento sejam distantes — como, por exemplo, quando você precisa pagar todas as contas em 30 dias, mas o dinheiro do cliente só vai cair daqui a 60 dias.

 

Assim, os valores devem vir juntos à especificação do gasto ou receita. A data de pagamento e recebimento também deve ser identificada, e o período de monitoramento pode ser diário, semanal, mensal ou anual, conforme a necessidade da empresa.

 

A importância de controlar o fluxo de caixa

 

A principal vantagem em controlar fluxo de caixa é poder monitorar a movimentação financeira do negócio.

 

O empreendedor consegue identificar melhor as receitas, saber exatamente como tem gasto o dinheiro e planejar estratégias para aumentar a lucratividade, seja reduzindo custos, realizando promoções ou precificando melhor os produtos e serviços.

 

Assim, com o fluxo de caixa é possível perceber, por exemplo, quando o saldo subiu ou desceu por uma questão de vendas sazonais, ou por uma tendência mesmo do seu negócio. E, após feito o fluxo de caixa, o empreendedor vai chegar em um valor, que pode ser positivo ou negativo.

 

Além do valor, é ser possível verificar quais são os problemas da empresa: gastos excessivos? Prazos de pagamento apertado para fornecedores? Clientes inadimplentes? Promoções sem lucratividade? Margem de lucro insatisfatória?

 

Dessa forma, além de oferecer um panorama atual, o fluxo de caixa ainda ajuda a prever cenários, projetando uma média de gastos, receitas e lucros para o futuro. Permitindo, então, que o gestor tome as melhores decisões para preparar a empresa para o futuro, evitando surpresas ou aproveitando melhor as oportunidades.

 

Técnicas para controlar o fluxo de caixa

 

Bom, agora que você já sabe o que é o fluxo de caixa e qual é a sua importância, vejamos como executá-lo de forma eficiente e proveitosa para o seu negócio!

 

1. Registro e classificação dos gastos

 

A regra de ouro do fluxo de caixa é o registro de todas as movimentações financeiras. Afinal, é preciso ter disciplina para não perder nada e conseguir ter uma avaliação da situação real do negócio. Por isso, anote todas as despesas e receitas.

 

Além de registrar os números, especifique de onde veio e para onde vai o dinheiro. E separe por tipos de gastos, como funcionários, contas de água e luz, aluguel, compra de matéria-prima etc.

 

As fontes de receitas e o destino dos gastos precisam ser classificados e categorizados para uma análise eficaz. E as datas das operações também precisam ser especificadas!

 

2. Periodicidade

 

Defina uma periodicidade para analisar o fluxo de caixa. O ideal é que a avaliação seja feita, pelo menos, uma vez ao mês.

 

Já a periodicidade dos registros deve ser diária. Isso porque é mais fácil anotar no próprio dia todas as movimentações que ocorrem do que deixar para depois e perder informações importantes, que podem alterar o balanço final.

 

3. Projeções

 

Uma vez monitorada a movimentação financeira por um tempo, vai ficar mais fácil projetar um cenário futuro.

 

Você poderá, por exemplo, fazer um fluxo de caixa para o próximo mês ou ano da sua empresa, com base nos resultados que você já tem. E, com isso, é possível pensar na melhor forma de se preparar para o futuro.

 

Aliás, utilizar gráficos com os resultados é a melhor forma de identificar curvas de crescimento, padrões e tendências das finanças do negócio. O que ajuda muito na hora de projetar as contas futuras e tomar decisões.

 

4. Análise e planejamento

 

Com base nas informações do fluxo de caixa, o gestor ou dono do negócio deve analisar bem os dados e traçar as melhores estratégias.

 

A partir disso, vai ser possível pensar em ações como, por exemplo, diminuir o descompasso entre pagamentos e recebimentos, reduzir gastos, pedir empréstimos ou utilizar capital imobilizado em investimentos na própria empresa, ou fora dela.

 

O planejamento financeiro pode ser em curto, médio ou longo prazo. De toda forma, o importante é integrar as informações obtidas no fluxo de caixa, a situação geral da empresa é uma boa análise de mercado.

 

5. Automação

 

Para facilitar todo o processo, uma alternativa é a utilização de plataformas online de gestão financeira. Por meio de dispositivos móveis e computadores, os empreendedores conseguem registrar e monitorar facilmente a movimentação financeira da empresa.

 

Além disso, podem ser criados relatórios periódicos com as informações econômicas do prazo estipulado pelo empreendedor. Assim, os números e informações se tornam mais simples de serem interpretados.

 

Sem dúvida, a automação é uma das formas de manter o controle do fluxo de caixa mais rigoroso, eficiente e ao mesmo tempo prático e dinâmico. Até porque as informações ficam salvas na nuvem, sem risco de se perderem, e podem ser sincronizadas com outros setores da empresa.

 

Bom, como você viu, esse é um instrumento não só de controle de caixa, como de tomada de decisões para a empresa. Com um registro criteriosos, um acompanhamento constante e uma análise cuidadosa, você consegue realizar um fluxo de caixa eficiente.

 

Enfim, controlar o fluxo de caixa é uma forma de obter informações confiáveis sobre o seu negócio a fim de aumentar os rendimentos e fugir dos prejuízos. E você, como utiliza essa ferramenta no seu trabalho? Deixe-nos o seu comentário e participe!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 Motivos para a sua empresa investir num sistema de controle financeiro
Por Controlle
Simples Nacional: entenda o que muda na tributação para 2018
Por Controlle
Dicionário financeiro: 20 termos que todo o empreendedor precisa entender
Por Controlle
Como escolher uma contabilidade para sua empresa sem errar?
Por Conube
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.