Conheça 8 negócios que crescem em tempos de crise

A crise traz dificuldades para a maioria das empresas: queda...

A crise traz dificuldades para a maioria das empresas: queda no faturamento, aumento dos custos e necessidade de uma gestão ainda mais assertiva. Ao mesmo tempo, é em tempos crise que oportunidades de negócios surgem, levando a um aumento na procura e no número de clientes em geral. O resultado é o crescimento que vai contra todos os resultados negativos da economia.

Basicamente, o sucesso desses negócios se apoia na mudança, ainda que temporária, dos hábitos de consumo do mercado durante nesse período. Por isso, veja a seguir 8 negócios que crescem mesmo em tempos de crise.


Opções de negócio para investir em tempos de crise

Revenda de carros usados

Os valores de carros novos são consideravelmente elevados no Brasil, inclusive em relação aos demais países. Com isso, pagar R$ 50 mil ou R$ 80 mil em um veículo novo é inviável para muita gente durante a crise.

Quando a necessidade de troca de carro é indispensável, normalmente, as pessoas recorrem a uma solução mais barata: a revenda de carros usados. Assim, as revendas especializadas normalmente observam um aumento nas vendas.

Outra questão é que mercado desse tipo de empreendimento também se aquece, porque há mais oferta, especialmente, de pessoas que não conseguem mais arcar com os custos de um veículo.

Reparo de roupas e sapatos

Com a crise, as pessoas tendem a economizar mais e procuram gastar somente com o que é extremamente necessário. Uma roupa cujo botão se solta ou um sapato que sofre um pequeno rasgo não são exemplos de prioridades e, por isso, um negócio que cresce nesse cenário é o de reparo de roupas e sapatos.

Ao oferecer um custo mais baixo para garantir itens perfeitos para o uso, esse negócio passa a ser muito procurado na crise. Em alguns casos, inclusive, as pessoas procuram empresas do tipo para atualizar uma peça e evitar a necessidade de comprar uma nova e mais cara.

Pequenas reformas e consertos

A crise também reflete no mercado imobiliário. A dificuldade de acesso ao crédito e a própria falta de confiança e estabilidade do consumidor diminui drasticamente as transações de compra e venda de imóveis.

Quando surge um problema em casa ou no apartamento durante a crise, em vez de pensar em se mudar, as pessoas buscam soluções. Isso faz com que empresas voltadas para reformas e pequenos consertos de imóveis sejam, especialmente, procuradas.

Por um preço mais barato do que um grande escritório de reformas, esse tipo de negócio garante conforto e segurança para os lares de maneira acessível. Em alguns casos, também são procurados por quem coloca o imóvel à venda e deseja valorizar para torná-lo mais atrativo.

Oficina mecânica

Ainda falando em conserto, a oficina mecânica também ganha destaque. Se antes um carro mais antigo seria substituído quando começasse a apresentar uma sequência de problemas, na crise ele precisa ser consertado para funcionar da melhor maneira possível.

O crescimento da oficina mecânica em tempos de crise também se justifica por dois fatores: o primeiro é que as pessoas querem o veículo otimizado para que ele consuma menos combustível e o segundo é que o número de carros usados circulando aumenta. Com isso, os cuidados com prevenção e reparos são ainda mais importantes e mais procurados.

Alimentação de baixo custo

Em julho de 2016 o setor de alimentos teve uma inflação de 1,32%, o que reflete, principalmente, nos preços dos supermercados. Como a alimentação é uma parte que não pode ser dispensada do orçamento, as pessoas passam a procurar opções de baixo custo na crise.

É o caso de estabelecimentos que realizem vendas no atacado. É comum que grandes grupos se juntem para adquirir itens de maneira mais barata, por exemplo. Outra opção são os food trucks: práticos, possuem menos estrutura do que os restaurantes e, com isso, conseguem oferecer comida de qualidade por um valor menor.

Há também opções como a entrega de comida congelada. Especialmente, em residências que tiveram que dispensar a empregada doméstica, essa solução é uma opção prática e geralmente de custo menor.

Automação de empresas

Empresas que foquem na automação de outros negócios, como aquelas que fornecem estrutura de TI ou softwares de gestão também crescem nesse período. Isso porque, muitas empresas decidem investir na tecnologia como um diferencial, usando essa estratégia para reduzir custos, melhorar a qualidade e crescer.

Com isso, as empresas fornecedoras das soluções de automação normalmente, veem a demanda crescer, gerando mais faturamento e mais clientes.

Agência de marketing digital

O marketing tradicional — também conhecido como off-line ou outbound — é importante para o negócio, mas muitas vezes têm custos mais elevados. Fazer propaganda em outdoor ou em comerciais de televisão, por exemplo, são fatores que podem sair muito caro.

Nesse mesmo cenário surge o marketing digital. Feito on-line, ele é mais barato e, geralmente, mais efetivo. Com isso, muitas empresas utilizam esse tipo de estratégia para continuar atraindo clientes, só que de maneira mais em conta.

Isso faz com que as agências de marketing digital tenham especial desempenho na crise, já que são um caminho alternativo e menos custoso para os negócios.

Microfranquia

A crise geralmente é acompanhada de demissões e aumento da taxa de desemprego. A estimativa é que em abril de 2016 mais de 280 brasileiros eram demitidos por hora. Com a dificuldade de achar uma nova vaga, muitos decidem empreender como forma de ganhar a vida.

Nesse cenário, as microfranquias em geral se destacam. Com baixo investimento inicial e baixos custos operacionais, esses negócios são menos arriscados e, com isso, crescem durante esse momento.

Embora a escolha do setor deva ser feita de maneira adequada, a verdade é que a taxa de mortalidade é consideravelmente menor. Para esse tipo de negócio, a taxa de falência nos três primeiros anos é de pouco mais de 3%, enquanto as franquias tradicionais possuem um índice de 25%.

Negócios que favoreçam a redução dos gastos e que ofereçam melhoria dos resultados da empresa são os que mais crescem na crise, impulsionados pela necessidade de pessoas e negócios de superar as dificuldades do período.

Conhece algum outro tipo de negócio que cresce em tempos de crise e deveria estar na lista? Deixe o seu comentário!


Deixe seu comentário