Fluxo de caixa projetado: Entenda o que é e como fazer

Escrito por:

Que o fluxo de caixa é uma ferramenta indispensável para a manutenção da saúde financeira da empresa todos os empresários já sabem. Muitos gestores, no entanto, ainda não possuem o hábito de manter o controle da entrada e saída de dinheiro no longo prazo, através do fluxo de caixa projetado – o que poderia evitar diversos transtornos à empresa em situações de crise.

 

No artigo de hoje você vai descobrir o que é um fluxo de caixa projetado e aprender a elaborar e controlar este fluxo. O processo é bastante simples e vai lhe ajudar a manter as finanças da sua empresa sempre em ordem – até mesmo diante de imprevistos, que podem aparecer a qualquer momento.

 

Vamos lá?

 

O que é Fluxo de Caixa Projetado?

 

O fluxo de caixa projetado é uma ferramenta que permite ao gestor de uma empresa identificar possíveis situações de risco ou falhas que possam, eventualmente, comprometer a saúde financeira da empresa. Com estas informações em mãos, o administrador pode se antecipar e tomar as medidas necessárias para evitar problemas posteriores.

 

Este fluxo de caixa projetado é composto pelas entradas e saídas de dinheiro da empresa em um determinado período de tempo. Com ele, o gestor tem um conhecimento mais sólido e profundo dos lucros, despesas e da receita da empresa, permitindo que ele projete a situação financeira da empresa para o futuro e esteja preparado para qualquer eventualidade.

 

Qual a importância do Fluxo de Caixa Projetado?

 

Uma vez que o objetivo do fluxo de caixa projetado é identificar possíveis faltas ou sobras de dinheiro no caixa da empresa em um determinado período de tempo, ele se torna fundamental para o controle da organização financeira dentro do ambiente corporativo.

 

No curto prazo, por exemplo, o fluxo de caixa projetado ajuda o gestor a:

 

– Escolher as melhores datas para pagar fornecedores;

 

– Definir as melhores datas para demais vencimentos, de acordo com o fluxo de caixa previamente projetado.

 

Já no longo prazo, o fluxo de caixa projetado é capaz de:

 

– Ajudar a planejar as atividades financeiras da empresa;

 

– Auxiliar no planejamento de investimentos;

 

– Permitir um maior e melhor controle da saúde financeira empresarial;

 

– Facilitar a análise da liquidez do negócio;

 

– Possibilitar o gerenciamento mais preciso do capital de giro.

 

Uma empresa que não tem o hábito de manter um fluxo de caixa projetado acaba se tornando vulnerável a uma série de problemas financeiros, principalmente aqueles relacionados a imprevistos, investimentos, entre outros.

 

Além disso, quando não há um controle dos recursos disponíveis para cobrir despesas que surgem ao longo do tempo, o gestor acaba tendo que recorrer, muitas vezes, a soluções paliativas – como financiamentos e empréstimos, que podem agravar ainda mais o estado de saúde financeira do negócio.

 

Como desenvolver um Fluxo de Caixa Projetado?

 

Existem alguns elementos que devem ser considerados na hora de desenvolver um fluxo de caixa projetado de uma empresa. É preciso, em primeiro lugar, que as projeções sejam coerentes e precisas.

 

Para que isso aconteça, o gestor deve se atentar a alguns itens, como:

 

– O saldo inicial em caixa;

 

– Despesas fixas e variáveis;

 

– Intervalos de tempo entre os recebimentos;

 

– Planejamento de contas;

 

– Entradas de dinheiro, divididas entre Previsão e Realizadas.

 

Todos estes itens devem ser lançados em uma tabela, para que o administrador possa identificar, com clareza, as entradas e saídas de dinheiro e as necessidades futuras da empresa em relação às finanças.

 

Para que o fluxo de caixa projetado funcione corretamente, no entanto, também é necessário realizar um planejamento para o fluxo de caixa e identificar a viabilidade econômica do negócio como um todo. Entenda um pouco mais sobre estas duas questões adiante.

 

Fluxo de Caixa

 

Fazer o planejamento do fluxo de caixa da empresa é a primeira etapa para composição do fluxo de caixa projetado. Para este fluxo de caixa empresarial é necessário colher todas as informações da contabilidade da companhia, como pagamentos, recebimentos, prioridades e valores de cada uma das entradas e saídas de dinheiro em um determinado período.

 

Todas as informações obtidas devem estar sempre organizadas, permitindo que o gestor tenha fácil acesso a elas quando for necessário e viabilizando uma administração mais sólida e segura das finanças da empresa.

 

Este controle é fundamental para o administrador, já que é a partir deste fluxo de caixa que ele tomará as melhores decisões financeiras envolvendo o negócio. Além disso, este controle permitirá ao empresário identificar possíveis necessidades de adequações e cortes no orçamento, a fim de manter a saúde financeira da empresa em todos os momentos.

 

Viabilidade Econômica

 

A análise da viabilidade econômica da empresa como um todo é o segundo passo importante na composição do fluxo de caixa projetado. Isso porque é através desta análise que o gestor consegue identificar as possibilidades de crescimento da empresa, por exemplo, e projetar o futuro da companhia para o longo prazo.

 

Cada despesa, neste processo, deve ser contabilizada e analisada minuciosamente pelo empresário. Deve-se, por exemplo, identificar, para um determinado período de tempo:

 

– Os valores de comissões a serem pagos;

 

– Custos com horas extras;

 

– Custos com salários;

 

– Valores devidos de férias;

 

– Custos com décimo terceiro;

 

– Custos mensais fixos – água, luz, internet, aluguel, etc;

 

– Custos mensais variáveis.

 

Após esta listagem e análise, o gestor poderá identificar a quantidade de dinheiro que precisará para arcar com todas as despesas de um período previamente determinado e, desta forma, organizar as finanças da empresa e possíveis investimentos futuros. Este controle é fundamental para permitir que a empresa não corra riscos financeiros e cresça de maneira saudável.

 

Como fazer uma previsão do Fluxo de Caixa?

 

Na hora de fazer uma projeção do fluxo de caixa, existem alguns passos que podem ser seguidos pelo gestor, que podem facilitar – e muito – a projeção do fluxo de caixa e do fluxo de caixa projetado. Conheça alguns deles:

 

→ Estimar suas vendas

 

O administrador deve estimar a quantidade de vendas que, provavelmente, serão realizadas em determinado período – que pode ser medido em semanas, meses ou em períodos mais longos. Se pautar em históricos de vendas dos últimos meses e anos pode ser um ponto de partida interessante para estimar as vendas futuras.

 

É importante se atentar à sazonalidade, datas e eventos diversos – que podem impactar diretamente nos resultados das vendas e devem, consequentemente, estar previstos nas suas projeções.

 

→ Estimar o tempo de recebimento dos pagamentos

 

Após estimar as vendas no período, o gesto deve se atentar ao tempo que levará para que ele receba por estas vendas. No caso das vendas à vista, pagamento é feito na hora, mas no caso das vendas no cartão, por exemplo, a empresa não recebe na hora.

 

Por isso, é importante incluir estes recebimentos nas previsões de fluxo de caixa e considerar, inclusive, um possível atraso nestes pagamentos. Estas estimativas e controles são fundamentais para manter um fluxo de caixa projetado próximo da realidade da empresa e evitar aborrecimentos e problemas financeiros no futuro.

 

→ Estimar possíveis gastos

 

Identificar e controlar seus gastos prováveis em determinado período também é um passo importante para a realização de um bom fluxo de caixa. Discrimine os gastos fixos e variáveis prováveis no período e certifique-se de não deixar de inserir despesas anuais ou periódicas, como impostos e taxas.

 

Para mensurar as despesas variáveis, o administrador pode se pautar na previsão de vendas daquele mesmo período. Deste modo, você pode determinar a quantidade de estoque ou matérias-prima que você precisará adquirir para manter seu negócio em funcionamento no período e identificar, consequentemente, as despesas envolvidas para estas compras.

 

Uma dica para estimar com maior precisão seus gastos é verificar registros de pagamentos do ano imediatamente anterior. Em geral, este tipo de comparação pode ajudar o gestor a organizar e discriminar com maior exatidão todas as contas que deverão ser pagas – assim como suas respectivas datas de vencimento.

 

Finalize seu fluxo de caixa projetado

 

Organizado o fluxo de caixa e a previsão de receitas e despesas para determinado período, é a vez de montar, finalmente, o fluxo de caixa projetado. Para isso, basta adicionar, na sua tabela de fluxo de caixa, o saldo inicial de dinheiro no caixa da empresa e contabilizar as receitas menos as despesas identificadas para cada período apurado.

 

O processo da composição do fluxo de caixa projetado é simples e deve impactar positivamente o seu negócio. No entanto, se você não se sente confortável para organizar seu fluxo de caixa projetado sozinho, é possível contar com o Controlle – um gerenciador financeiro que permite ao empresário gerir e planejar as finanças do seu negócio de modo fácil e sem burocracia.

 

E você, como mantém a organização financeira da sua empresa? Compartilhe conosco suas experiências!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Projeção de Vendas: um passo a passo para implementar em sua empresa
Por Controlle
Caixa 2: Entendendo os riscos de prestar serviços sem nota fiscal
Por Controlle
Pagamento recorrente: entenda as vantagens de aplicá-lo na sua empresa
Por Controlle
Payback: entenda o que é e como calcular o da sua empresa
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.