Gestão financeira: o que deve ser feito na crise?

Escrito por:

Nos últimos tempos, todos só falam da mesma coisa: a crise econômica. E não seria diferente, afinal de contas, esse tem sido um período bastante conturbado.

 

O aumento dos juros, da conta de luz, do preço dos produtos e todos os demais reajustes afetam não só a rotina dos lares, como também das organizações. Por isso, para que a sua empresa atravesse esse período sem maiores prejuízos, é preciso começar a apostar agora mesmo em uma gestão financeira eficiente.

 

gerenciamento das finanças deveria ser uma obrigação do empresário, mas, infelizmente, é muito comum vermos gestores cometendo uma série de gafes simples, como a confusão entre o patrimônio individual e empresarial, a falta de planejamento financeiro e a contração de dívidas sem a previsão de receitas.

 

Em setembro de 2015, o IBGE divulgou um dado preocupante: mais da metade (53,5%) das empresas brasileiras fecham após quatro anos de funcionamento! Não é preciso dizer que, em meio a uma crise econômica, esses números podem se tornar ainda maiores. Mas calma, não entre em pânico. Neste post vamos dar algumas dicas para que você saia dessa crise de cabeça erguida. Confira!

 

Monte um replanejamento

Agora é o melhor momento para replanejar o destino da sua empresa. Caso ela não tenha um planejamento detalhado, com todas as metas, objetivos e os planos de ação que devem ser desenvolvidos, é melhor começar agora mesmo para evitar futuros problemas.

 

O replanejamento torna-se essencial, pois, ao realizamos as nossas projeções, trabalhamos com estimativas ou, ainda, com informações dos fluxos de caixa passados. Acontece que, em uma crise, não podemos confiar em informações antigas e internas, uma vez que elas não correspondem mais à realidade.

 

O ideal é que você procure informações externamente. Se você trabalha com vendas, em vez de avaliar tão somente os dados internos, procure descobrir qual foi o resultado do varejo em 2015. Houve queda? Em quais regiões? De quanto foi a redução? Essas informações podem te ajudar a desenvolver nossas projeções e, consequentemente, o redesenho do planejamento da empresa.

 

Evite a inadimplência e faça reservas

Não são somente as empresas que estão passando por problemas financeiros devido à crise. Todos precisam lidar com contenções, e isso inclui os seus clientes. É por isso que, em tempos de desordem econômica, é muito comum vermos a inadimplência aumentar.

 

Em função disso, além de criar ações para incentivar os pagamentos em dia (como descontos para aqueles feitos antes do vencimento), é preciso criar as chamadas provisões para devedores duvidosos, que nada mais são do que baixas contábeis de inadimplentes antes que eles incorram na conduta. Essa ação é fundamental para que você tenha melhor noção das entradas reais de caixa no futuro.

 

Além disso, não podemos nos esquecer de que a criação de reservas não é somente indicada, como também é um dever para o gestor. Isso porque, em tempos de crise, nunca saberemos exatamente o que vai acontecer e, portanto, é fundamental ter algum dinheiro protegido.

 

Controle dívidas e empréstimos

As dívidas, sejam elas com fornecedores ou bancos, devem ser mais controladas do que nunca. Se normalmente elas já representam uma verdadeira ameaça quando não são realizadas de maneira eficaz, em uma crise podem se tonar um complicador.

 

Evite ao máximo a contratação de empréstimos. Sabemos que não é uma postura fácil e que, em tempos de dificuldade econômica, esse é o momento em que mais precisamos de dinheiro. No entanto, a saúde financeira do seu negócio estará em jogo e os juros estão elevadíssimos neste momento. Além disso, procure antecipar o pagamento das suas obrigações atuais para justamente fugir dos juros.

 

Caso a situação esteja incontrolável, o ideal pode ser a negociação com a instituição financeira ou o uso de outros artifícios, como a substituição das dívidas por uma única e com menor taxa de juros ou até mesmo a troca de débito de um banco para outro. Muitas instituições pagam a sua dívida para colher juros menores.

 

Cuide da precificação na gestão financeira

Por fim, é importante também prestar a devida atenção aos preços durante a crise. Como vimos, um dos artifícios que podem ser utilizados e que, indiretamente, está ligado à precificação, é a concessão de descontos em caso de pagamento antecipado. Esse é um dos cuidados que você deve ter a partir de agora, mas não é só esse.

 

A elaboração de promoções será mais eficaz do que nunca. Descubra quais são os produtos com menor custo de produção/aquisição e forneça descontos para alavancar as vendas. Além disso, esse é um período em que você terá que exercitar a sua imaginação, lançando promoções, concursos, prêmios, e outros recursos. O ideal é manter o cliente na sua empresa, mesmo durante esse momento tão difícil.

 

E você? Como tem feito a gestão financeira na sua empresa para contornar a crise? Tem alguma outra dica sobre o assunto? Deixe o seu comentário!

 

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Indicadores de negócio: os tipos de indicadores fundamentais para a sua empresa
Por Controlle
Benefícios do Boleto Bancário para MEI e pequenas empresas
Por Controlle
Emita seus Boletos de cobrança com o Controlle
Por Controlle
Customer Success: o que é e por que investir nessa estratégia?
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.