Guia simples e prático para medir a rentabilidade da sua empresa!

Administrar uma empresa é um desafio para todos os empreendedores, especialmente para os micro e pequenos empresários, que muitas vezes se ocupam de todas as funções e precisam equilibrar muitos fatores ao mesmo tempo. Independente do porte do seu negócio é importante ter sempre a contabilidade na ponta do lápis pra não ter surpresas quanto ao faturamento, as despesas, fluxo de caixa e quaisquer problemas que possam atrapalhar a rentabilidade do negócio.

Mas, afinal, como saber se sua empresa está rendendo como deveria? Muitas vezes fica difícil saber o que questionar, pra onde olhar e o que, exatamente, analisar para chegar até essa informação. Para conseguir respostas e entender direitinho como a sua empresa está caminhando financeiramente, vamos te ajudar com algumas dicas. Anote aí!

De olho nos preços

Calcular um preço a ser cobrado por uma mercadoria ou serviço não é simplesmente pegar o valor pago e acrescer uma quantia qualquer que você considerar justa. A composição de um preço deve ser muito bem elaborada, incluindo despesas diretas e indiretas na produção ou na formulação daquele item. É preciso que você faça um pequeno estudo que leve em conta o valor do serviço no mercado, a existência de concorrentes e os preços praticados por eles. Só assim você poderá chegar a um preço que faça sentido e mantenha a viabilidade do seu negócio, rendendo os lucros necessários, mas sem nunca abusar dos seus clientes.

Fique antenado!

O mercado vive em transformação e a concorrência se altera todos os dias. Com essa alta rotatividade, empresas abrem e fecham portas e, por isso, é preciso ficar atento às dificuldades e o progresso daquelas que oferecem o mesmo que você — claro, no mesmo nível de qualidade e para a mesma fatia do mercado. Atualizar-se com constância sobre a situação de seu nicho de mercado ajuda muito a não ter surpresas desagradáveis como descobrir que está perdendo clientela por causa de um preço mais alto ou porque seu concorrente (aquele que você não dava bola) surgiu com uma ideia inovadora. Não fique para trás!

Confira os juros

Empréstimos, pagamentos parcelados e dívidas em geral podem ou não ter taxas de juros fixas ao ano, contudo, é sempre bom ter em mãos os gastos reais do seu negócio. Se você fez empréstimos para ampliar a empresa ou investir em pessoal, parcelou compras com fornecedores ou contraiu quaisquer dívidas que podem afetar a saúde do seu bolso, fique muito ligado! As taxas normalmente mudam muito e isso exige recálculos mais frequentes dos seus compromissos financeiros. Por isso, é bom sempre se lembrar disso na hora de fechar o balanço do mês e não deixar nenhuma despesa de fora. Só assim você terá uma visão completa do caixa do seu negócio e o que deve ser feito para reduzir custos, se isso se mostrar necessário.

Controle de estoque

Está com mercadoria encalhada no estoque? Perdeu algumas vendas por falta de produtos? Tudo isso reflete diretamente na lucratividade de um empreendimento. Ter um controle estruturado do material estocado evita perda de valor (ou até mesmo desperdício) de produtos antigos e garante que você saiba qual o melhor momento de abastecer o estoque e, quem sabe, até fechar melhores negócios com os fornecedores, comprando mais itens ou com prazos melhores.

Margem de contribuição

margem de contribuição refere-se ao quanto sobra de dinheiro depois de pagar os custos que são fixos na rotina da empresa e ter lucro com as vendas. Em poucas palavras, essa margem define o quanto a sua empresa ganhou após o desconto sobre custos diretos. É possível calcular esse número de maneira isolada para cada serviço ou mercadoria ou de forma mais abrangente, envolvendo todos os produtos e o funcionamento da empresa como um todo. Fazer essa medição levando em conta a totalidade de produção pode revelar números importantes sobre o rendimento do seu negócio.

Quadro de funcionários e terceirização

Não tem uma maneira mais clara de dizer isso: as despesas com colaboradores devem fazer o investimento valer a pena, sem sombra de dúvida. O lucro está ligado às despesas e à produtividade e, por isso, muitas vezes o problema da rentabilidade está ligado ao fraco desempenho de uma equipe de funcionários. Para obter conhecimento sobre como andam as coisas com o pessoal, participe do dia a dia dos seus colaboradores, entenda suas necessidades e ouça suas queixas.

Em uma micro ou pequena empresa isso é relativamente fácil, já que você tem contato direto com a rotina, os problemas e os desafios do negócio. Ter domínio sobre essa realidade te permite tomar decisões muito mais acertadas quanto à equipe, além de apontar quais serviços ou setores estão precisando de mais colaboradores — contratados ou terceirizados (lembre-se que, em muitos casos, optar pela terceirização de um serviço reduz os custos trabalhistas).

Essas são algumas dicas que você pode seguir para saber o que realmente afeta a lucratividade da sua empresa, porém, é sempre bom lembrar que o controle financeiro é uma das coisas mais importantes no mundo dos negócios e que soluções inteligentes são sempre bem-vindas para te ajudar a evitar surpresas com os balanços mensais!

Como você faz para avaliar a rentabilidade da sua micro ou pequena empresa? Tem alguma dica bacana também? Divida com a gente e deixe um comentário!


Deixe seu comentário
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade