Payback: entenda o que é e como calcular o da sua empresa

Escrito por:

Abrir um negócio ou realizar investimentos na empresa já aberta requer muito estudo e cuidado, principalmente quando o assunto é fluxo de caixa. Afinal de contas, planejar as finanças do seu negócio e as projeções de retorno do investimento pode não apenas ajudar sua empresa a manter-se mais saudável financeiramente, mas também evitar problemas inerentes à má gestão e organização financeira, como a falência.

 

Neste contexto, existe uma ferramenta fundamental à disposição do empreendedor, que auxilia na análise e projeção dos lucros e permite que o gestor identifique em qual momento o investimento realizado será, de fato, recuperado. Trata-se do payback.

 

No artigo de hoje você entenderá o que é o payback, suas principais vantagens e desvantagens para a empresa e aprenderá a calculá-lo. Continue a leitura e descubra como manter as finanças da empresa em ordem e a projetar o retorno futuro dos investimentos relacionados ao seu negócio.

 

O que é paypack?

 

O payback – ou “retorno”, em tradução livre – é um cálculo utilizado pelas empresas em todo o mundo que identifica o tempo que levará para um determinado investimento – seja a abertura de um negócio ou um investimento adicional na empresa – se pagar.

 

É por meio do payback, portanto, que o empreendedor consegue identificar em qual momento o valor investido retornará à empresa, sob forma de rendimentos.

 

Existem dois tipos principais de payback: o simples e o descontado. O payback simples é calculado sem descontar os fluxos de caixa futuros, enquanto o payback descontado é calculado utilizando uma taxa de desconto – a taxa mínima de atratividade (TMA).

 

No texto de hoje, no entanto, você aprenderá a calcular apenas o payback simples – o cálculo mais simples e mais utilizado pelos empreendedores.

 

Como calcular o payback?

 

Saber calcular o payback é fundamental para qualquer empreendedor que deseja manter seu fluxo de caixa organizado e em linha com a realidade da empresa. Afinal, quaisquer erros e interferências relacionadas ao caixa podem ter efeitos devastadores à empresa, ao gestor e a todos que, de algum modo, possam estar ligados ao negócio.

 

Este cálculo é simples de ser feito. Para entender como ele funciona, acompanhe o exemplo a seguir:

 

Imagine que você realizou um investimento na sua empresa de R$ 30 mil. O payback – ou retorno deste investimento – será calculado por meio da divisão do investimento inicial pelo saldo médio do fluxo de caixa.

 

Supondo, por exemplo, que o saldo médio de fluxo de caixa projetado da sua empresa seja de R$ 6 mil por mês. Neste caso, a conta será a seguinte: R$ 30.000/R$6.000 = 5 meses.

 

O retorno dos R$ 30 mil investidos, portanto, ocorrerá em 5 meses.

 

É importante ressaltar, no entanto, que esta é uma média. É comum, em muitos casos, que o saldo do fluxo de caixa fique negativo nos primeiros meses e que, nos meses seguintes, compense esta diferença da média estabelecida.

 

Quais as vantagens e desvantagens do payback?

 

Como qualquer indicador de desempenho, o payback possui diversas vantagens e desvantagens para a empresa. É preciso, portanto, que o empreendedor conheça cada um dos benefícios e dificuldades que o payback pode lhe trazer.

 

Entre as principais vantagens de se utilizar o payback está a simples compreensão do cálculo deste indicador, que pode ser realizado até mesmo por quem não entende de contabilidade. Além disso, é por meio do cálculo do payback que o empreendedor consegue verificar a viabilidade de um projeto ou do próprio negócio identificar o tempo que seu investimento demorará para ter liquidez.

 

Por outro lado, também existem desvantagens em utilizar o payback. A primeira desvantagem é a fragilidade da previsão de retorno do investimento, que pode ser alterada em diversos momentos, por uma série de fatores inerentes ao negócio.

 

Uma outra desvantagem do payback é o fato desta ferramenta desconsiderar as entradas de dinheiro que ocorrem no caixa após o investimento ter sido recuperado. E, por conta disso, o cálculo não prevê os lucros que o investimento pode continuar trazendo à empresa após o pagamento total do investimento realizado.

 

Apesar disso, utilizar o payback para abrir um negócio ou realizar investimentos na empresa já em funcionamento pode fazer grande diferença na organização financeira e no fluxo do caixa da empresa – em especial, às micro, pequenas e médias empresas.

 

Se você está pensando em abrir uma empresa ou realizar um investimento no seu negócio e deseja estudar a viabilidade do investimento e o tempo de retorno do valor aportado, vale a pena reservar alguns minutos para calcular o payback deste investimento e manter um bom controle das finanças da sua empresa. Você pode se surpreender com os benefícios que o payback pode lhe oferecer no curto e médio prazo!

 

Agora que você já entendeu o que é o payback e como calcular este retorno sobre os investimentos, que tal acessar um guia de boas práticas para controlar os recebimentos dos pagamentos recorrentes na sua empresa?

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Projeção de Vendas: um passo a passo para implementar em sua empresa
Por Controlle
Caixa 2: Entendendo os riscos de prestar serviços sem nota fiscal
Por Controlle
Pagamento recorrente: entenda as vantagens de aplicá-lo na sua empresa
Por Controlle
Pagamentos recorrentes: um pequeno guia de boas práticas para controlar esses recebimentos
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.