Planejamento e organização: palavras-chave para qualquer negócio!

Escrito por:

Apesar de sermos um dos países mais empreendedores do mundo, ainda nos falta maturidade gerencial. Esse é um alerta que fazemos há algum tempo aqui em nosso blog! No Brasil, ainda prevalece o amadorismo na gestão de grande parte das empresas, principalmente no caso das PMEs. As consequências disso já podem ser mensuradas: de acordo com o Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), metade dos empreendimentos brasileiros fecham as portas nos primeiros anos.

 

Na grande maioria dos casos, a falta de planejamento e a desorganização financeira são os grandes responsáveis para que essas empresas deixem de atuar tão precocemente. É preciso criar uma cultura em que as finanças empresariais, a gestão de pessoas e a organização dos processos internos, sejam levados a sério. É só dessa maneira que um empreendimento consegue se estabilizar no mercado e criar as bases que sustentem o seu crescimento no futuro.

 

Dispostos a mostrar aos empreendedores o caminho do sucesso, listamos os principais benefícios que a organização e o planejamento de uma empresa podem ter em todas as fases de um negócio. Confira!

 

Fase inicial: O planejamento começa na base

O cenário ideal é quando os aspirantes a empresário realizam um planejamento antes mesmo de começarem a atuar efetivamente. A chave para que um empreendimento cresça com bases sólidas é a realização de um plano de negócios. Basicamente, é organizada uma reunião entre todos os sócios para definir as diretrizes da empresa, realizando estimativas e previsões.

 

É preciso definir, por exemplo, quais serão os encargos tributários que recairão sobre o empreendimento, as despesas fixas para a manutenção do negócio (como aluguéis e internet, dentre outros), a precificação de produtos e serviços, o custo necessário para a contratação de mão de obra, planos de cargos e salários, entre outras análises. Desta forma, é possível delimitar possíveis ameaças internas e externas, além do potencial de lucro e as necessidades da empresa.

 

Vale lembrar, também, que o plano de negócios é uma medida necessária para facilitar as negociações de financiamentos bancários e, principalmente, para atrair a atenção de investidores no futuro. Além disso, lembre-se que ele é um planejamento e está sujeito a imprevistos que possam ocorrer na rotina da empresa quando ela abrir as portas. Porém, se algo acontecer, você estará apto a voltar mais facilmente ao orçamento normal.

 

Mãos à obra: O potencial da organização no empreendimento

Com a empresa em operação, é fundamental que seja mantida uma organização empresarial, principalmente em relação ao campo financeiro, medida que visa a garantir a sobrevivência do negócio no mercado. Nas fases iniciais da empresa, é recomendável que os sócios realizem uma gestão de acompanhamento. Isso significa dizer que é preciso estar na linha de frente e trabalhar junto com os funcionários, verificando quais são as necessidades do negócio e os pontos que precisam ser aprimorados.

 

O uso de ferramentas de gestão, como os fluxos de caixa, é uma medida estratégica para durante todo esse processo. Ao conhecer todas as previsões de entradas e saídas de recursos financeiros o empreendedor pode manejá-los e controlá-los de maneira mais eficiente. Os estoques, por exemplo, podem ser calculados em cima de demandas reais, e as necessidades de financiamentos, determinados por meio de dados precisos.

 

Para conseguir mais agilidade e dinamismo na obtenção de dados financeiros, o empresário deve fazer o uso da tecnologia. Existem vários softwares destinados especificamente ao controle das finanças, que permitem ao empreendedor obter as informações de forma mais rápida e organizada, o que melhora a qualidade das decisões tomadas.

De olho no futuro: Planejando o crescimento

Por fim, é preciso pensar no futuro. Um empreendedor sem ambição de crescer, dificilmente sobreviverá no mercado, visto que a concorrência se amplia cada vez mais. Para se ter uma ideia, nos últimos quatro anos, mais de 7 milhões de empresas foram abertas no país, segundo a Serasa Experien. Por isso, é fundamental que se estruture o crescimento da empresa por meio da elaboração de um planejamento estratégico e da definição de objetivos e metas empresariais.

 

Para planejar o crescimento, é preciso definir com clareza qual é o alvo da empresa: ampliar a área de atuação? Desenvolver um novo produto? Explorar outro mercado? Tendo feito isso, o empreendedor terá que buscar recursos, que podem vir do próprio aporte de capital, através de financiamentos bancários ou por meio de investidores externos. É importante entender que, aqui, um novo plano de negócios se faz necessário. A cada passo dado pela empresa, é como se fosse um novo começo.

 

Por fim, vale ressaltar que todo o planejamento requer reavaliações constantes. O mercado é imprevisível e, por isso, a administração precisa o tempo todo revisitar seus planos e planejamentos para se adaptar às novas circunstâncias. Esse fato torna a organização financeira ainda mais importante, já que é preciso conhecer bem o próprio negócio para fazer as mudanças necessárias e reorientar o empreendimento.

 

Quais são as maiores dificuldades encontradas por você na hora de planejar a organizar a sua empresa? Deixe aqui o seu comentário!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Networking: criando conexões para alavancar novos negócios
Por Controlle
6 Dicas para fazer uma boa gestão financeira para agência de publicidade
Por Controlle
Análise SWOT: o que é e como fazer na sua empresa
Por Controlle
Indicadores de negócio: os tipos de indicadores fundamentais para a sua empresa
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.