Planejamento financeiro empresarial: 7 dicas de mestre

Escrito por:

Um planejamento financeiro empresarial é uma importante ferramenta utilizada para que os negócios saibam quanto, quando e onde devem gastar. O resultado é que os recursos são aplicados corretamente e contribuem para a manutenção e crescimento do empreendimento.

 

Como cada negócio tem suas próprias necessidades, é fundamental que esse planejamento seja elaborado de maneira personalizada e completa, de modo que a empresa tenha os subsídios necessários. Se você está curioso sobre como pode acertar em cheio nessa elaboração, veja, a seguir, 7 dicas de mestre e coloque-as em prática!

1. Inicie o planejamento financeiro o quanto antes

 

Sendo tão importante, é fundamental que o planejamento financeiro empresarial seja iniciado o quanto antes. Uma antecipação no início desse planejamento diminui as chances de erros e de comprometimento de recursos, o que favorece o negócio.

 

Nesse sentido, o primeiro passo é reconhecer qual é a situação atual da empresa. É preciso entender quais são as necessidades atuais do negócio, fazer uma estimativa de previsão de vendas e conhecer os custos fixos e variáveis, já que isso forma a base do planejamento.

2. Identifique e elimine os gastos supérfluos

 

Depois de identificar os custos fixos e variáveis do negócio, é preciso atuar de forma a identificar quais são os gastos que existem, mas que não deveriam fazer parte da empresa. Os gastos supérfluos são aqueles que consomem recursos, mas que não oferecem resultados na mesma medida.

 

Sua identificação e sua consequente eliminação simplificam o planejamento financeiro porque o deixam mais enxuto e disponibilizam mais recursos, que podem ser aplicados em áreas mais importantes do negócio.

 

Ao mesmo tempo, é importante ter cuidado para não se enganar com gastos que parecem dispensáveis e que, na verdade, vão impactar a qualidade do que é oferecido caso sejam cortados. Antes de aprovar ou cortar um gasto, faça uma análise completa dos seus impactos para que o planejamento dê certo.

3. Defina as prioridades de negócio

 

Por falar em áreas importantes do negócio, parte fundamental do planejamento financeiro empresarial consiste no estabelecimento de prioridades. O negócio precisa saber, por exemplo, onde deseja chegar e também quais são as tarefas mais importantes para o seu funcionamento.

 

Se o objetivo é fazer crescer as vendas, algumas prioridades incluem a melhora da qualidade de produtos e do atendimento, já que ambos são fatores que favorecem a conversão.

 

Também é importante pensar no que permite que o negócio se mantenha relevante no mercado, além de tarefas que não podem ser eliminadas, como a aquisição com fornecedores e o pagamento de financiamentos. A partir dessa definição de prioridades, é necessário estabelecer como acontecerá a distribuição dos recursos.

4. Analise prazos de recebimento e pagamento

 

Outro ponto crucial para o planejamento financeiro diz respeito aos prazos de pagamento e de recebimento. Se a empresa precisa pagar os fornecedores à vista, mas oferece o pagamento em até 90 dias para os clientes, por exemplo, a necessidade de caixa é maior para poder financiar essas vendas.

 

Sendo assim, é fundamental que a gestão estude a relação entre esses prazos. Se for possível, vale negociar com fornecedores para conseguir uma organização financeira mais adequada, vantajosa e competitiva.

 

Além disso, todo o uso de recursos deve ser planejado seguindo esses prazos, de modo que haja dinheiro o suficiente para que o negócio cumpra com as suas obrigações.

5. Trabalhe com diferentes cenários

 

Por mais completo e eficiente que seja o planejamento financeiro empresarial, não é possível prever o futuro com absoluta precisão. Mudanças no mercado e alterações imprevistas podem acontecer e trazer novas necessidades para as finanças do negócio.

 

Para tornar o planejamento robusto contra os imprevistos, é fundamental visualizar diferentes cenários. O indicado é trabalhar com três possibilidades: um cenário realista, que segue as projeções feitas; um cenário otimista, que supera expectativas; e um cenário pessimista, como o que acontece em tempos de crise.

 

Cada um desses cenários deve conter seu próprio plano de ação, de modo que a empresa consiga se manter no mercado sem sofrimentos ou grandes imprevistos.

6. Solicite a ajuda de um consultor

 

Fazer a elaboração de um planejamento desse tipo nem sempre é fácil, especialmente em negócios maiores ou mais complexos. Errar nesse momento, entretanto, pode comprometer todos os resultados do futuro da empresa.

 

Por isso, é recomendado solicitar a ajuda de um consultor. Sendo um profissional altamente capacitado e experiente, ele será capaz de ajudar a orientar o negócio a respeito de como fazer uma distribuição adequada dos recursos de acordo com  projeções e objetivos.

 

Nesse caso, é possível tanto elaborar o planejamento junto a um consultor como permitir que ele avalie o planejamento realizado. A segurança trazida pelo planejamento ao tomar essa atitude vai ser maior e os resultados serão mais consistentes.

7. Registre todas as movimentações financeiras

 

O planejamento financeiro empresarial só vai ser realmente útil se ele for colocado em prática. Parece óbvio, mas muitos empreendedores se esquecem disso e deixam os planos de ações limitados ao papel.

 

Para que isso não aconteça com o seu negócio, é fundamental fazer um acompanhamento de resultados de maneira consistente. Registrar as movimentações financeiras e identificá-las, por exemplo, permite que o negócio saiba exatamente como está gastando os recursos.

 

Nesse sentido, um sistema de gerenciamento é um grande aliado. Ele não apenas ajuda a colocar todas as ações em prática como também permite um monitoramento de resultados. Ao final de um determinado período, é possível comparar o que foi realizado com o que foi planejado, o que permite que os próximos planejamentos sejam cada vez mais efetivos.

 

Um planejamento financeiro empresarial é indispensável para o sucesso, e tão importante quanto tê-lo é garantir que ele seja o mais adequado e correto possível. Por isso, além de começá-lo o quanto antes, é preciso colocar em prática dicas que vão desde a eliminação de custos supérfluos até a solicitação de auxílio de um consultor. Quando ele estiver pronto, o registro das movimentações garante controle financeiro sobre o que está sendo executado, melhorando os resultados obtidos.

 

Quais são suas dificuldades e desafios para criar um planejamento financeiro empresarial? Compartilhe a sua experiência nos comentários!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Indicadores de negócio: os tipos de indicadores fundamentais para a sua empresa
Por Controlle
Benefícios do Boleto Bancário para MEI e pequenas empresas
Por Controlle
Emita seus Boletos de cobrança com o Controlle
Por Controlle
Customer Success: o que é e por que investir nessa estratégia?
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.