Pró-labore: 6 dicas para investir o seu como um especialista

Escrito por:

O pró-labore consiste na remuneração dada àqueles que participam como sócios e administradores de uma empresa. Todos que estão à frente da gestão de um empreendimento sabem como essa função é trabalhosa, não é verdade? Por isso, nada mais justo do que investir a sua suada remuneração em boas aplicações.

 

Afinal, quem não quer ver seu dinheiro render? Confira, abaixo, 6 dicas para investir o seu pró-labore como um especialista:

1. Não coloque o dinheiro na poupança

 

Muitas pessoas deixam seus recursos na poupança, por conta de seu baixíssimo risco e do ótimo poder de autonomia sobre a quantia aplicada. Quando não sabemos nada sobre o assunto, o nosso primeiro instinto é investir todas as economias na poupança.

 

Afinal, se aquele dinheiro está parado, nada melhor do que fazê-lo render um pouquinho, não é mesmo? No entanto, é preciso ficar atento: hoje em dia, existem inúmeras alternativas melhores do que a poupança, que dão rentabilidade muito maior para o cliente e possuem razoável índice de segurança.

 

Já que a inflação no Brasil está em alta, por que não lucrar um pouco com ela? Aposte em aplicações que variem de acordo com a taxa Selic ou estejam atreladas ao IPCA — que tende a subir nos próximos meses. Nesse sentido, os títulos públicos e os CDBs são boas opções para quem não deseja se arriscar no mercado e, ainda assim, conseguir um bom retorno sobre a quantia aplicada.

2. Descubra o seu perfil como investidor

 

Para saber onde vai investir, é conveniente saber o que deseja de toda a atividade. Você prefere ter ampla segurança quanto ao valor investido ou gostaria de se arriscar mais, sendo capaz também de lucrar mais? Quer que seu dinheiro renda em longo ou curto prazo?

 

Faça uma autoavaliação e descubra qual é o seu perfil de investidor! Dependendo da sua resposta, existem investimentos que são mais ou menos indicados. As principais questões a serem pensadas dizem respeito à liquidez, à segurança e à rentabilidade do seu capital. Traçadas as metas e definidos os objetivos para o seu pró-labore, parta para a ação e comece a procurar os melhores investimentos para a sua vida financeira.

3. Diversifique sua carteira de investimentos

 

Imagine a seguinte situação: após muito trabalho, você recebeu seu pró-labore e decidiu aplicá-lo, inteiramente, em apenas uma empresa. No entanto, devido às grandes oscilações do mercado, ocorre uma desvalorização brusca de todas as ações daquela companhia e você percebe que perdeu boa parte do dinheiro que investiu. Horrível, não é mesmo?

 

Por isso, uma excelente solução para quem quer ter um pouco mais de segurança na hora de investir é variar a sua carteira de investimentos. Para tanto, é preciso investir em aplicações que não tenham muita relação entre si. Nas bolsas de valores, nos títulos públicos e nas aplicações de renda fixa ou variável, é necessário que todas as suas ações não estejam atreladas a uma mesma categoria, para que não haja perda total caso algo dê errado.

4. Se quiser investir na bolsa de valores, estude bastante

 

Só a possibilidade de se investir na bolsa de valores causa calafrios em algumas pessoas. Quedas repentinas do mercado, falência ou perda de dinheiro — tudo isso faz com que muitas pessoas se afastem do setor antes mesmo de conhecê-lo.

 

É bem verdade: a bolsa de valores não é para leigos. O risco de se investir nela é, de fato, grande. Porém, a rentabilidade do dinheiro também é bastante tentadora.

 

Se bem planejadas, as aplicações em ativos da bolsa podem render muito para quem sabe investir. Para isso, no entanto, é preciso ter plena noção do que se está fazendo: não entre com ações na bolsa de valores caso não tenha estudado previamente o mercado.

 

Tendo o conhecimento necessário antes de escolher uma empresa confiável para investir, é possível saber a hora certa de colocar e de retirar capital. Muitas pessoas começam a ver o valor de dada empresa cair e logo decidem retirar todo o dinheiro aplicado. Esse erro pode acabar com o seu orçamento! É preciso paciência e, acima de tudo, sangue frio para viver no mundo da bolsa de valores. Se houver uma perspectiva de crescimento da empresa no mercado, a melhor saída é esperar até que as ações se valorizem novamente.

 

Antes de entrar nesse universo, faça uma avaliação do rendimento dos meses anteriores da companhia em questão, para descobrir as tendências do mercado. Claro que essa estratégia não cobre 100% do seu risco, mas torna toda a atividade mais segura.

 

A bolsa de valores é um investimento de longo prazo. Mesmo assim, ainda é possível encontrar ações que possam dar retorno em um curto período de tempo — e, até mesmo, em um mesmo dia (os chamados day-trade).

5. Prepare a sua aposentadoria

 

Se o seu intuito com a quantia do pró-labore é investir no futuro, uma ótima alternativa pode ser a aplicação da quantia na previdência. Caso opte por esta saída, ela vai incidir automaticamente sobre um dado percentual do seu pagamento de pró-labore.

 

No entanto, caso não queira depender do INSS, escolha um plano de previdência privada. É importante estudar bem todas as propostas antes de assinar um contrato definitivo. Tenha em mente que os acordos de previdência privada são de longo prazo. A desistência do que fora pactuado pode acarretar em multas.

6. Contrate um assessor de investimentos

 

O assessor de investimentos é aquele profissional altamente especializado em auxiliar nos investimentos de seus clientes. É uma pessoa com vivência de mercado, que, após avaliar seu capital inicial e os objetivos de aplicação, montará uma bela carteira de aplicações, personalizada de acordo com a sua realidade. Esse trabalho é fruto de uma parceria entre o cliente e o assessor contratado. Na maioria dos casos, aumentará exponencialmente a rentabilidade da quantia que for aplicada, com novas opções de investimento orientadas.

 

O assessor pode ser muito útil para quem tem medo de entrar no universo das finanças e dos investimentos, ou para quem não conhece muito sobre o assunto. Ele te dará dicas preciosas sobre como e quando aplicar seu pró-labore.

 

O pró-labore é uma remuneração importantíssima que não deve ser desperdiçada. Como ocorre com qualquer outro tipo de renda, é muito melhor organizar sua vida financeira para ser capaz de reservar uma porcentagem deste pagamento e direcioná-la aos investimentos. Com as dicas desse texto, ficará muito mais fácil perder o medo e entrar no universo das aplicações.

 

Gostou do post? Deixe nos comentários outras sugestões para quem deseja fazer o dinheiro do seu pró-labore render!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Indicadores de negócio: os tipos de indicadores fundamentais para a sua empresa
Por Controlle
Benefícios do Boleto Bancário para MEI e pequenas empresas
Por Controlle
Emita seus Boletos de cobrança com o Controlle
Por Controlle
Customer Success: o que é e por que investir nessa estratégia?
Por Controlle
Controlle
Controlar as finanças da sua pequena empresa
ou startup, não precisa ser chato.

Conheça o Controlle, um gerenciador financeiro perfeito pra quem não gosta de perder tempo.

Faça como mais de 20 mil pessoas e receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter a gestão da sua empresa em ordem.