Simples nacional: Quais são as vantagens para o microempreendedor?

O Simples nacional é um regime de tributação criado para...

O Simples nacional é um regime de tributação criado para micro e pequenas empresas que desejam se regularizar de maneira mais fácil e mais barata. Inclui o pagamento em uma única guia de 8 impostos municipais, estaduais e federais, que são o ISS, ICMS, CSLL, IPI, PIS, COFINS, IRPJ e INSS patronal.

Para entender mais o porquê de adotar esse regime, confira a seguir quais são as vantagens para o microempreendedor!

Quais as vantagens do Simples nacional?

Para o microempreendedor, a adoção do Simples nacional traz alguns benefícios que não passam em branco, especialmente se você considerar que a empresa precisa de toda ajuda possível para se estabelecer definitivamente no mercado. Com isso, se o Simples nacional é importante para uma empresa de pequeno porte, para o microempreendedor ele pode ser ainda mais relevante, já que pode significar a sobrevivência da empresa.

 

Nesse sentido, as vantagens incluem:

Maior conveniência

Uma das primeiras vantagens da adoção do Simples nacional é que ele é mais conveniente do que outras formas de tributação. Em vez de ter que pagar tributos com datas de vencimento diferentes, tudo é feito de maneira única, em uma só guia.

 

Especialmente para o microempreendedor que faz tudo de maneira independente, essa conveniência é importante para garantir que o negócio esteja em dia com suas obrigações sem que isso leve a uma grande perda de tempo.

 

Melhora na organização da contabilidade

O fato de ser conveniente também faz com que o Simples nacional impacte a organização da contabilidade positivamente. Em vez de exigir que cada imposto seja calculado e pago separadamente, por exemplo, o Simples nacional conta com um cálculo automático e completo, evitando que todo o processo contábil se torne mais difícil.

 

Também fica mais fácil organizar os pagamentos, já que ele é feito de maneira única. Assim, ainda que não tenha tantos conhecimentos específicos, o microempreendedor conseguirá manter a contabilidade em dia de maneira mais fácil.

 

Diminuição do valor dos tributos

Em relação à tributação por lucro presumido, por exemplo, o Simples nacional pode apresentar uma importante diminuição dos valores a serem pagos. Isso faz com que a carga tributária fique menos pesada na microempresa, possibilitando investimentos em outras áreas.

 

Diminuição dos encargos com funcionários

Ainda sobre finanças, a adoção do Simples nacional também leva a uma desoneração dafolha de pagamento. O que isso significa? Que é mais barato manter os funcionários regularizados.

 

Isso se deve principalmente ao fato de que, ao adotar esse regime, o microempreendedor fica desobrigado de pagar a 20% de taxa referente ao INSS patronal. Como resultado, é possível manter os funcionários em situação regular sem que isso signifique um grande gasto no orçamento.

 

Eliminação de etapas burocráticas

Justamente por ser nacional é que o Simples ajuda na eliminação de algumas burocracias que complicam todo o processo. É o caso, por exemplo, dos cadastros estaduais e municipais.

 

Em vez de precisar fazer um cadastro na Junta Comercial, um na Secretaria de Fazenda, outro no INSS e assim por diante, a empresa optante pelo Simples precisa apenas se cadastrar no site do regime de tributação.

 

Isso evita que alguma etapa seja esquecida ou que o microempreendedor precise gastar mais tempo do que o necessário com essas etapas meramente burocráticas. No final, o resultado é um ganho de tempo para se dedicar às atividades-fim do negócio.

 

Garantia da regularidade fiscal

Se todos os impostos são pagos da maneira correta, então o resultado é de regularidade fiscal. Isso significa que o microempreendedor passa a encarar uma situação mais positiva em relação às suas obrigações fiscais, o que faz com que sejam diminuídos os riscos de problemas com a fiscalização, como multas, sanções e embargos.

 

Essa regularidade fiscal, portanto, traz mais segurança para a empresa, que se vê diante de possibilidades mais positivas, já que a obtenção de crédito, por exemplo, encontra menos entraves.

 

Aumento da competitividade

Com mais recursos para investir, o microempreendedor pode fazer otimizações importantes em seu negócio e garantir mais segurança para seu crescimento e desenvolvimento, por exemplo.

 

Além disso, a regularidade fiscal também surge como um fator de diferenciação da empresa, já que muitas concorrentes do mesmo porte atuam de maneira improvisada e sem a regularização completa.

 

No geral, adotar o Simples nacional pode fazer com que a empresa experimente um aumento da competitividade — tanto pelo fato de que ela tem mais dinheiro para investir quanto pela questão de ela se destacar perante as demais devido à sua regularidade.

 

Quais empresas podem optar pelo Simples nacional?

Para aproveitar essas vantagens, entretanto, é necessário que o microempreendedor se atente a quais empresas podem, efetivamente, escolher o Simples nacional como regime de tributação.

 

As microempresas precisam ter faturamento anual até R$ 360 mil enquanto as empresas de pequeno porte devem ter faturamento anual entre R$ 360.000,01 e R$ 3,6 milhões.

 

Já quanto às atividades, algumas empresas são proibidas de adotarem esse regime. É o caso de cooperativas, consultorias, empresas que praticam atividades financeiras, que prestam serviços de comunicação e que terceirizam mão de obra. Por isso, é importante ficar atento em qual atividade o seu negócio se encaixa para saber se é possível ou não adotar esse regime.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de ler o post Vale a pena atrasar o pagamento de impostos?

 

Leia também:

Descubra o melhor regime tributário para sua empresa

Gestão fiscal para pequenas e médias empresas: entenda as melhores práticas

Planejamento financeiro empresarial: 7 dicas de mestre

 

Deixe seu comentário